quarta-feira, 6 de julho de 2011

O Verdadeiro Problema com a Televisão

O problema com a televisão é idiotizar as pessoas?

Uma tese ridícula é a de que a televisão idiotiza as pessoas. Contudo, essa é uma acusação sem fundamento, uma vez que é tomar efeito por causa.

A maioria das programas de televisão é composta por entretenimento ou provocação sexual. As notícias e os programas de estúdio são propagandas. Os programas de perguntas e respostas testam nossa memória, não nossa habilidade de pensar, ou nossa habilidade de lidar com questões desagradáveis.

Ninguém é forçado a assistir televisão. A maioria das pessoas assiste a muitas horas de televisão por dia simplesmente porque elas gostam do que a televisão oferece.

A televisão nunca se teria tornado um produto de consumo popular se os únicos programas disponíveis fossem educativos ou profissionalizantes. Se os únicos programas fossem de engenheiros discutindo questões técnicas sobre como consertar aeronaves, ou fazendeiros discutindo como manter terras produtivas, a televisão seria conhecida como um produto educacional.

Ao contrário, a venda de livros didáticos e revistas científicas aumentaria se elas incluíssem piadas, quadrinhos de comédia, boatos sobre estrelas de Hollywood, sessão de esportes, fotos pornográficas e um jogo de sete erros com uma foto da Dilma Rousseff.

Em suma, a televisão não está nos idiotizando.

Na verdade, as pessoas que mais gostam de televisão são aquelas menos interessadas em pensar, aprender e lidar com problemas. Elas preferem ficar sentadas por horas em uma condição passiva e deixar a televisão entretê-las e provocá-las.

Não é surpreendente que tais pessoas são as menos interessadas em aprender – para não falar em fazer alguma coisa contra – a corrupção do mundo. Não culpemos a televisão, culpemos as pessoas que assistem a ela.

O verdadeiro problema: Os donos dos canais de televisão são exploradores

Aqueles no controle dos canais de televisão estão abusando e explorando as sociedades, mas a maioria das pessoas defende os programas de televisão, argumentando que eles são divertidos. Seguindo essa linha de pensamento, se alguma coisa agrada uma pessoa, então, tal coisa é ‘’boa’’.

Será que demos fazer só as coisas que nos dão prazer?

Imagine se a diretoria de uma escola tentasse aumentar as vendas da cantina de sua escola. O que você acharia se as crianças passassem a jogar o lanche que sua mãe fez para elas e começassem a comprar doces, refrigerante, tortas, bolos, e outras coisa cheia de corantes e estimulantes artificiais?

O que você acharia se as crianças defendessem a diretoria com argumentos como:

"Eu gosto mais da comida da escola.Por que é que eu não posso comer o que eu gosto? Qual o sentido de viver se não for para fazer o que se gosta?

Nós consideramos criminoso o ato de abusar sexualmente de garotas com problemas mentais, então por que é que não achamos criminoso as empresas midiáticas tirarem vantagem da população medíocre?

Não importa se as pessoas que assistem televisão gostam dos programas. As pessoas no controle da mídia são criminosos, e elas estão tirando vantagem das pessoas de modo legalizado, ainda. Um ótimo exemplo foi a mídia dos EUA depois do 11 de setembro: Os programas ficaram saturados com mentiras e enganação, de modo a estimular a ira e o ódio para instigar guerras à vontade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.