segunda-feira, 17 de outubro de 2016

A Arte de Dragoš Kalajić

por Marcos Victor

A arte, o trabalho, a tradição e seu povo - não o dinheiro, o comércio, a economia e o individuo - é o medidor de progresso de uma nação, todo acumulo capital que ela vier a ter é consequência desses quatro pontos. A arte te eleva para outro nível, outra dimensão, outro universo, sem sair do lugar fisicamente, apenas metaforicamente. Ela torna o imaginário em físico, facilitando para os de pouca imaginação.

O artista no presente artigo é o sérvio Dragoš Kalajić (Драгош Калајић, 1943-2005), nascido 22 de fevereiro (signo de peixes) em Belgrado, a capital da Sérvia, próxima do rio Danúbio, muito utilizado nas mitologias eslavas. Proeminente aluno, sempre com as melhores notas da sala e um exímio escritor, tendo publicado diversos livros. Teve sucesso considerável em muitos campos que ele se aventurou, chegando a ter um programa na TV de entrevistas onde recebia artistas contemporâneos para debater sobre arte. Teve bastante influência e amizade entre o meio dissidente sendo amigo de nomes renomados tal como Julius Evola, Ezra Pound, Aleksandr Dugin, Giorgio de Chirico, Gualtiero Jacopetti e muitos outros. 

Dragoš Kalajić é considerado um dos artistas mais visionários e tradicionalistas da cultura europeia do século XX. Seus escritos tentavam explicar a ideia da "Nova Europa", totalmente diferente da ideia da União Europeia, tal fato faria o mesmo ser elogiado por Evola dizendo que ele iria "renovar o ideal romano"

Suas obras são um chamado interior da tradição europeia com os símbolos e arquétipos hiperbóreos. 



Clique nas imagens para ampliá-las.


 






































Nenhum comentário:

Postar um comentário